ESPAÇO DE DEVOCIONAL

Seja bem vindo!
Miss.Cacilda Barbosa Santiago

terça-feira, 9 de outubro de 2018

O desafio de cavar poços apesar de tudo... (Gn 26)

foto: Deserto do Saara - Marrocos| by dani.Vucinic
Isaque e o  desafio de cavar poços apesar de tudo... (Gn 26)
 Conforme o relato bíblico em Gênesis capitulo 26, podemos constatar uma experiencia de vida, que é  comum na nossa caminhada passageira nessa terra, às vezes nos cansamos de cavar poços, mas com perseverança e fé sempre poderemos chegar à vitória.
 Poços são as fontes de águas para a nossa sobrevivência, é uma riqueza importante para a subsistência. Nos tempos do antigo testamento, os poços era como simbolo de vida de cada família. Não tem como ninguém sobreviver e prosperar sem água.
 Isaque, com sua família diante de uma grave fome sobre a terra, tiveram  que mudar-se da sua terra natal, e já no território de uma lucrativa rota das caravanas, cuja cidade de Gerar, que em hebraico, significa "região" ou "lugar do pernoite", era principal cidade dos filisteus, lá se encontra com Abimeleque, rei dos filisteus. Provavelmente Isaque pensava que seria apenas uma passagem por lá, pois seu objetivo era chegar até o Egito, na época, a região  mais estruturada diante das seqüelas da fome na região, devido a força e influencia do rio Nilo que supria o Egito e adjacências, que o tornava portanto, o principal ponto de refúgio das famílias que tinham condições de migrar para outras regiões em busca de sobrevivência. No entanto, Isaque em Gerar recebe uma negativa da parte de Deus a respeito do Egito:”não desça ao Egito, mas fique na terra que eu lhe indicar. Habite nela, e serei com você e o abençoarei” (v. 2-3). E ainda faz promessas de bênçãos, de proteção e prosperidade relembrando a fidelidade de seu pai Abraão.  Mas a negativa de Deus, humanamente falando, parecia mais um decreto de morte,  pois só havia vida próspera no Egito! No entanto, Isaque preferiu confiar em Deus e optar pelo sobrenatural.Precisamos ser sensíveis a voz do Senhor, e  “andarmos por fé e não por vista”, foi isso que Isaque fez ao obedecer o direcionamento de Deus.
 Deus fez maravilhosas promessas para Isaque, e é importante lembrar, que nem sempre lindas promessas são sinônimos de dias ensolarados, ou de facilidades... e que promessas passam pelo teste da fé, do tempo e das adversidades. Quanto maiores forem as promessas, maiores serão os desafios e obstáculos a serem vencidos. Com Isaque não foi diferente, já após a promessa recebida, e dada sua fragilidade humana,  sucumbiu ao medo de declarar que Rebeca era sua esposa, e mentindo disse que era sua irmã, sendo a mentira posteriormente constatada pelo próprio rei Abimeleque que viu por uma janela., afinal não há nada oculto que não seja revelado. E, conforme o adágio popular “a mentira tem perna curta”, principalmente para os que estão debaixo de promessas do Senhor e não confiam o suficiente diante das pressões circunstanciais. Mas a misericórdia de Deus o fez prevalecer e continuar no lugar da promessa.
 E,  Isaque semeou naquela terra, que apesar da aceitação de Abimeleque, era terra em que havia homens eram maus, terra de inimigos, mas a terra que tinha uma promessa sobre a vida do servo do Senhor. Não podemos desistir de semear, mesmo se olharmos para aqueles que não são favoráveis a nossa presença. Não desista de semear na terra em que Deus prometeu te abençoar! E,  conforme v. 12-14 vemos a benção de Deus e a prosperidade na semeadura de Isaque ao ponto de despertar a INVEJA naquele povo. Infelizmente, movidos pela inveja, houve uma conspiração local e passaram a entulhar e encher de terra todos os poços que os servos de seu pai Abraão haviam cavado naquela terra (v.15), deixaram o resultado de um árduo trabalho totalmente sem serventia, e a fonte das águas que nutririam a semeadura de Isaque desprovida de condições de sobrevivência. Mas, " a benção do Senhor é que enriquece e não acrescenta dores" com a benção de Deus nada impede o que nEle confia de sobreviver e prosperar mesmo em meio a terra de adversidades. Diante dessa realidade e surpreendente prosperidade de Isaque, Abimeleque lhe dar  uma ordem  saia da terra, alegando que Isaque se tornou mais poderoso que o próprio povo. Isaque humildemente, apesar de ter prosperado naquele lugar, seguiu em frente, e foi acampar, morar em situação provisória, no vale de GERAR, região ainda mais difícil. No vale de Gerar, o resiliente Isaque recomeça o trabalho de  reabrir os poços entulhados, uma tarefa cansativa, desgastante e ainda envolta num sentimento de frustração, e para celebrar como memorial de reinauguração dos poços, Isaque mantinha os mesmos nomes nos poços definidos por seu pai Abraão. Diante das frustrações e desgaste, não podemos nos esquecer dos marcos de bençãos já recebidas "não te esqueças de nenhum de seus benefícios" (Sl 103.2), e ainda em Lm 3.21 "trarei a memória, aquilo que pode me dar esperança".
 Mesmo diante das adversidades, havia uma promessa de  Deus de prosperidade, e Isaque e seus servos seguem no desafio e com esperança cavam  mais POÇOS no vale, e encontraram um poço melhor ainda, um poço de água nascente, uma riqueza para os moradores, no entanto,  houve um conflito com os pastores da região, que declararam “essa água é nossa!”, e como dói, você trabalhar arduamente e quando conquistar o objetivo, ser totalmente  injustiçado, e perder todo seu trabalho para outro que não trabalhou, e que apenas se vê no direito de ser dono daquilo que você conquistou, e foi algo bem intenso no debate e no conflito, tanto é que Isaque deu o nome da este poço de “Eseque” que significa “discussão”. Perderam a questão, mas em seguida, o perseverante Isaque e seus servos cavaram outro povo, mas o problema persistiu, pois os homens do lugar  não admitiam a prosperidade de Isaque, novamente surgem conflito e confusão, desta feita mais intenso, ao ponto de Isaque dar a este poço o nome de “Sitna” que significa “inimizade”, algo intenso e diabólico. Mas, o Isaque que tinha promessa e a benção de Deus, não desistiu de cavar poços, mudou a estratégia, mudando de lugar, no versículo 22 diz “partindo dali, Isaque cavou ainda outro poço”... Imagino que apesar do desgaste no vale, apesar das frustrações e injustiças, Isaque manteve seu foco na promessa de Deus, então ao cavar mais esse poo, em outro lugar, não houve conflito, então Isaque deu o nome de “Reobote” que significa “Lugar espaçoso”, entendendo que o Senhor lhes abriu espaço e que  haveria ainda mais a prosperidade prometida por Ele. Mas, mesmo com a prosperidade, Isaque não se acomodou, seguiu para Berseba, lugar onde o Senhor lhe apareceu, lhe consolou, prometeu sua presença e  renovou a sua promessa de bênçãos sobre sua vida e de seus descendentes. Então Isaque, novamente arma a sua tenda e abrem ali um poço. Diante disso, Abimeleque e sua equipe de comando  seguem para visitar a Isaque, situação inusitada que incomoda Isaque e lhe leva a perguntar o “porque de estarem ali, já que teve ódio e foi expulso do meio deles” (v. 27), diante da situação os próprios inimigos reconhecem que Deus estava com Isaque e desejavam fazer uma aliança com ele. A alegação dos mesmos era de que foram bondosos com Isaque, mas é evidente que se houvesse essa bondade  toda, não teria acontecido tantas injustiças e conflitos. Mas, enfim.  passou o tempo da omissão, da perseguição, e perceberam que havia de fato algo diferenciado na vida de Isaque, que por sua vez lhes serviu um banquet, um banquete de honra, pois Deus é especialista em “preparar uma mesa diante dos inimigos” (Sl 23),  e pela madrugada, seguem junto  e fazem um juramento de paz .Após essa atitude benigna e nobre de Isaque, que preparou um banquete para aqueles que deveriam ajudá-lo, e não o fizeram, mas com a sua resiliência e capacidade de superação obteve mais bênçãos de Deus. E conforme narra no versículo 32, “nesse mesmo dia” , os seus servos chegaram com a notícia de que tinham cavado mais um poço e encontraram água! Há uma resposta para quem engole o orgulho, há um milagre para quem persevera, há um milagre para quem semeia a paz mesmo quando há ódio, há milagre para quem decide perseverar em cavar poços!. E, para este poço, encontrado num dia especial, Isaque deu o nome de “Seba” que significa “juramento” (v.33).
Que mesmo desgastados, e às vezes injustiçados, não desistamos de cavar poços no deserto. Com certeza chegaremos aos “reobotes” e aos “sebas” em nossa histórias. Que os poços de “seba” nos façam relembrar das promessas e juramentos do Senhor para com a nossa história, que os poços conquistados nos lembrem que DEUS é Deus de aliança e é Fiel para cumprir tudo o que nos tem prometido. Não se renda ao cansaço e  desgaste de cavar poços, continue firme e constante, pois com a nossa perseverança, na hora certa, poderemos celebrar as promessas do Senhor e Sua fidelidade para conosco. “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. (I Co 15.58)
Ele é o Senhor, o nosso Deus; seus decretos são para toda a terra. Ele se lembra para sempre da sua aliança, por mil gerações, da palavra que ordenou, da aliança que fez com Abraão, do juramento que fez a Isaque.  (Sl 105.7-9)
Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?  Eis que recebi mandado de abençoar; pois ele tem abençoado, e eu não o posso revogar. (Nm 23.19-20)
 Miss. Cacilda Barbosa Santiago
Rio Branco-Acre, Brasil. 2018

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

CONTE PARA O PAPAI!!.

EI...CONTE PARA O PAPAI!!...

Muitas vezes trazemos à mente recordações da nossa  infância, e uma que é bem  recorrente é a da possibilidade que tínhamos quando nos sentíamos afrontados, agredidos, ou explorados, e  então podíamos até ameaçar “vou contar pra minha mãe.. para o meu pai!!” quando ele(a) chegar!...” Apesar de alguma reação, tínhamos a segurança de ter um socorro, e então só em  dizer, ou como dizemos no norte “enrredar”(dedurar,denunciar), a impressão que tínhamos era de alivio,  e de que  já estaria tudo resolvido... Como era  bom sabermos que tinha alguém para tomar as devidas providências a respeito dos nossos “assuntos”.  E, então crescemos...agora precisamos resolver por nós mesmos,  os problemas e situações tornam-se bem diferentes, às vezes “um quase sem fim...”rsrs... agora bem mais complexos e amplos, surge então a sensação de insegurança, de medo,  e a de que precisamos do socorro de alguém bem mais forte que nós, que possa de fato resolver... nossos pais terrenos as vezes não existem mais, e quando existem quase nada podem fazer... ou se podem, já não queremos incomoda-los... Muitas vezes nos afligimos demasiadamente porque esquecemos  do ponto fundamental, o de que temos um Pai do céu, o nosso  PAI Eterno, que é  Deus Presente, o Deus que tudo VÊ, tudo SABE, e tudo PODE fazer por nós. E, Agora o que precisamos mais e mais aprender a contar nossos dilemas para Ele, Clamar, Chamar por Ele,  pois Ele nos OUVE e RESPONDE. Ele é Nosso Pai, e nós somos Seus filhos, e como filhos, temos todos os privilégios, com livre acesso ao seu coração. Ele está atento ao nosso pedido de socorro, contemos para Ele pois "assim como um Pai se compadece dos filhos, assim o Senhor se compadece de nós, pois conhece a nossa estrutura e lembra-se de que somos pó"(Sl 103.13).
 Não precisamos ficar tão inquietos e sofremos, achando que temos com quem contar, pois o SENHOR é nosso socorro, e sua Palavra nos diz: "Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças."(Fp 4:6)
  Portanto, se estás precisando de uma força, de um socorro, de um colo, de uma mão que  te segura firme para não naufragar... CORRA para os braços do Pai, conte para ele o que aflige o seu coração, e Ele tomará as devidas providencias que precisas. Ele vai agir, cuidar de você, exercer justiça  e vai dizer para quem tenta te afligir “ei...não mexe com esse aqui não, pois é meu filho viu?!”.

Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir."(Is 59:1)

domingo, 18 de fevereiro de 2018

O perigo do cansaço diante das decisões sob pressão

A Bíblia Sagrada é um livro completo, imparcial, pois relata os atos heróicos e também as fraquezas das pessoas, dessa forma nos identificamos e com a ajuda do Espírito Santo seguimos a caminhada atentos a orientação da Palavra de Deus. Nascemos e vivemos sob pressão, quando decisões precisam ser tomadas, e precisamos da fase  da racionalidade, reflexão e direção de Deus, para não sermos alvos das consequências das escolhas impensadas e irrefletidas. Em Gênesis capítulo 25, versículos 29 a 34, vemos a história de Jacó e Esaú, dois irmãos gêmeos com características totalmente diferentes. Esaú, um exímio caçador, um homem imediatista e instintivo,  o favorito de seu pai Isaque. Por outro lado, Jacó, um exímio cozinheiro, tranquilo  e auxiliar nos serviços das tendas, o preferido de sua mãe Rebeca.
Um belo dia Esaú chega de uma cansativa caçada e é atraído pelo cheiro de um suculento prato de lentilhas feito por Jacó. Ficou tão embebecido pelo seu sentimento e necessidade imediatista de comer algo, de saciar sua fome que simplesmente ignorou aquilo que ele tinha recebido por direito: a sua primogenitura e todos os benefícios a ela inerentes.  Apesar de serem gêmeos, quem nasceu primeiro foi Esaú, e sobre ele havia uma herança diferenciada por ser o primeiro. A primogenitura segundo a lei e cultura judaica dava direito a liderança do clã familiar na ausência do patriarca e também havia a maior parte sobre os bens e riquezas da família. No entanto, na hora da pressão, da fome, do cansaço, Esaú ignorou essa benção e menosprezou sua primogenitura cedendo a sutil proposta de Jacó. Diante da pressão, ele simplesmente endossa sua necessidade do momento:Eis que estou a ponto de morrer, e para que me servirá logo a primogenitura?” (Gn 25.32
Essa mesma história muitas vezes se repete em nossas vidas quando estamos cansados, famintos e vulneráveis às pressões. Somos tentados a desvalorizar riquezas prometidas da parte de Deus porque achamos que está longe de acontecer ou que não seriam tão importantes quanto as nossas necessidades momentâneas. Nessas horas é preciso pedir a graça de Deus,e tomar os devidos cuidados, entendendo que é preciso se cuidar, e que DEUS se importa conosco e por sua fidelidade não permite tentação maior que a nossa estrutura suportaria. 
"Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia! Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar." (1 Co 10:12,13)
Por outro lado, podemos observar a vida de Davi, conforme relato bíblico em I Sm 30 1-6, diante de uma tragédia em que os amalequitas incendiaram a cidade de Ziclague e o sequestro de suas famílias e bens, mesmo chorando até não ter mais forças, Davi se fortaleceu no Senhor. E como estratégia de recomposição e diante da pressão dos seus companheiros que lançaram sobre ele sua amargura e revolta pelo acontecido, Davi com a força que recebeu do Senhor, buscou a orientação e Deus para os próximos passos. Que exemplo de força diante da pressão, uma força que vem de DEUS. Para superar as pressões o melhor e maior aliado é o SENHOR, nosso companheiro que nos dar o conforto e o equilíbrio necessário . Davi, assim como Esaú estava cansado, assim como Esaú tinha um "prato" diante de si, mas era o "prato da reação impensada", o prato do rancor, mas era preciso primeiro provar da direção de Deus, provar da graça de Deus para assim prosseguir com sabedoria e reaver o que se havia perdido. Decisões fazem parte da vida, o cansaço faz parte da vida, mas o equilíbrio obtido com a graça de Deus para fazer a melhor escolha é e sempre será o melhor caminho. 
Que Deus nos ajude

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Uma mulher e Uma grande FÉ ... (Mt 15.21.28)

Uma mulher e Uma grande FÉ ...  (Mt 15.21.28)

Para uma grande FÉ é preciso ser resiliente, ou seja, capaz de se refazer, de se recobrar diante das adversidades, e  esta resiliência aprendemos com uma mulher cananéia, uma estrangeira cujo nome não aparece na Bíblia, o que sabemos é que era uma mãe desesperada pela batalha com sua filha “terrivelmente endomoniada”. Uma mãe, que sabia o exatamente o que queria, a cura e libertação da sua filha.
Milagres não são dádivas adquiridas sem nenhum esforço, no decorrer da narrativa bíblica, vemos sempre que Deus envolve o ser humano no processo do milagre através de atitudes como:  obediência,  submissão,  expressão, enfim, de ação. E, no caso desta mulher, percebemos quatro importantes características na sua vida, que nos ensinam o caminho para adquirir uma benção almejada, e ela  antes disso, recebeu ainda um lindo elogio de Jesus: ”mulher, grande é a Tua FÉ!” (Mt 15.28)

1º Para se evidenciar uma grande fé, é preciso saber o que se quer, ou seja, PROPÓSITO. Quem tem um propósito, mesmo que enfrente a situação de não ser bem vinda em um determinado lugar, continua firme no lugar da benção. Os discípulos disseram “Mestre, despede-a...” ou seja, manda essa mulher ir embora daqui, ela está incomodando. Quem tem propósito, tenha por certo, incomoda até mesmo os que deveriam acolher. Mas, quem tem propósito é resiliente e se mantem firme, focado na sua vitória.
2º Para uma grande fé, se faz necessário, CLAMAR, ela clama e mesmo diante do SILENCIO de Jesus, se mantem no propósito. ”Clama a mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.” (Jr 33.3)
3º  Para se ter uma grande FÉ, a mulher estrangeira, mesmo diante do preconceito, ADOROU. Jesus disse a mulher que veio para as ovelhas perdidas da casa de Israel, e chega uma estrangeira, mas mesmo assim, uma mulher resiliente e perseverante em seu propósito entende que o caminho da vitória passa pela ADORAÇÃO. Jó aprendeu essa lição mesmo diante das perdas, pois sua esperança estava no SENHOR.
4ª Para uma grande fé, se faz necessário HUMILDADE. Jesus a confronta dizendo: “ Não é bom pegar o pão dos filhos e lançar aos cachorrinhos”.. (v.26). Mas, sabiamente e com humildade a mulher cananéia refuta e diz “que os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.” Qie humildade, vencendo qualquer barreira de orgulho, aquela mulher resiliente nos ensina que não há como superar as provações da fé sem a humildade no coração. A Bíblia nos diz que “a humildade precede a honra” (Pv 15.33) e ainda, “humilhai-vos debaixo da potente mão do Senhor, que a seu tempo vos exaltará” (I Pe 5.6).
Portanto, diante das adversidades, a grande FÉ superou, venceu, pois Jesus na mesma hora liberou a benção do milagre para aquela filha que ficou em casa. Que as lições desta mãe, nos ajudem a sair da zona de conforto e nos levem aos pés daquele que TUDO pode fazer, e que mesmo enfrentando adversidades, rejeições, silencio, preconceitos, possamos nos manter firmes no propósito com FÉ, CLAMOR, ADORAÇAO e HUMILDADE. Pois no DONO do MILAGRE é JESUS, que sabe como e quando fazer o que pedimos.






sábado, 1 de julho de 2017

E não nos cansemos de fazer o bem

"E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos."(Gl 6.9)

E não nos cansemos de fazer o bem...  Por que será que o Senhor através da sua  Palavra  nos alerta, para não cansarmos de fazer o bem, a colheita vai chegar no tempo, se não desanimarmos...?  A resposta nós podemos encontrar nas experiências da caminhada, em quantas sementes lançadas que não produziram o esperado, às vezes a produção da semeadura até nos decepciona, dado o solo seco, estéril que semeamos. No entanto, sabemos que a semente vem de Deus e Ele no seu tempo pode nos conceder a colheita. O certo que a colheita chega, se não desanimarmos de plantarmos a semente do bem.
É fato que muitas vezes torna-se difícil fazer o bem, semear o bem,  e então  como humanos que somos, nos cansamos e desanimamos.  Vivemos num mundo com tanta maldade, ingratidão, distorções, traições, fazer o bem, acaba  se tornando um grande desafio diário. O Senhor Jesus nos avisou que nos últimos dias, por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriará, mas o que perseverar até o fim... Portanto, o segredo da colheita está na perseverança, na decisão de não desistir de semear o bem. 

Que a Graça e o Renovo do Senhor seja sobre todos que decidiram fazer de suas vidas um instrumento do Bem, mesmo em dias de geleiras de maldade. Que o Espírito Santo aqueça cada coração com o Amor para com Deus, ao próximo e a si mesmo. Persevere em ser um benfeitor apesar dos malfeitores, Persevere em semear o bem apesar dos solos áridos, Persevere sempre, apesar de tudo, pois no tempo colheremos!

terça-feira, 18 de abril de 2017

DESPERTANDO PARTEIRAS PARA O REINO DE DEUS (Ex 1.15-21)

Despertando as parteiras de Deus! -  7 LIÇÕES DE 2 MULHERES PARTEIRAS (Êxodo 1.15-21) 
imagem retirada do site: https://temosquefalarsobreisso.wordpress.com/2015/08/17/o-sentido-e-as-funcoes-da-dor-de-parto-parte-ii/


Em todas as épocas, mesmo em meio às crises, Nada e ninguém impede o povo de Deus de prosperar.  Deus, o Todo Poderoso levanta instrumentos de vida e esperança para levar o Seu Propósito adiante. Na história do Povo de Israel, relatada no livro de Êxodo, capítulo 1, vemos o cuidado de Deus através de duas parteiras que atuavam na comunidade hebraica.
A parteira é a mulher que assiste uma mãe ao dar luz, essa atividade tem sido cada vez mais rara no tempos modernos. Nos tempos antigos, os deveres da parteira se consistia em ajudar a mulher a dar à luz, encorajando-a e fazendo todos os movimentos necessários para um parto sadio, além de cortar o cordão umbilical, lava o bebê, prepara-o envolto em panos para entregar ao pai e familiares. As parteiras comumente eram pessoas muito próximas das famílias.
Na narrativa bíblica em Êxodo, capitulo 1 versículos 15 a 21, num momento difícil da historia do povo de Israel, fadado a extinção e humilhação de seus opressores, aprendemos algumas importantes lições com duas simples parteiras para uma vida que faz a diferenças mesmo em meio ao e densas trevas da pós modernidade, e assim despertadas como  parteiras de nosso tempo possamos fazer a diferença no Reino de Deus como canais de VIDA e ESPERANÇA! Vejamos algumas dessas lições:
Lição 1.   Se houver  decreto de morte, DEUS LEVANTA PARTEIRAS - SIFRÁ E PUÁ  , foram as  duas parteiras que ajudaram a evitar um verdadeiro infanticídio de crianças hebréias pelos egípcios. Duas mulheres, seus nomes SIFRÁ, que significa "ser justo" "belo" e a segunda, PUÁ, cujo nome em hebraico sifinifica "Esplêndido". Podemos  extrair de seus nomes a junção de duas qualidades para agentes de VIDA, que são JUSTIÇA e BRILHO. Jesus nos nomeou para sermos " inculpáveis e irreprensíveis, reluzir como astros resplandecentes no meio de uma geração corrompida e perversa" (Fp 2.15). Também nos alerta: "Vocês são o sal da terra e a luz do mundo". (Mt 5.13b). Portanto, mesmo em meio ao decreto de morte, exite a esperança de brilhar e não permitir que nada e nem ninguém tire o resplendor diante das densas trevas de mortandade. Não teremos medo da mortandade, pois temos no Altíssimo a nossa habitação (Sl 91.5-6). Agindo Deus, quem impedirá?
Lição 2.  NÃO SE CONFORME COM A SENTENÇA DE MORTE DO INIMIGO “ – As duas parteiras estavam cientes da Lei e de suas consequências, no entanto, não se acovardaram.  "Mais importa obedecer a Deus do que a homens" (At 4.19). E, assim não se amoldar aos padrões impostos pelo sistema do mundo que jaz no maligno. Como alerta-nos a Palavra de Deus "Não vos conformeis com esse mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12. 3)
Lição 3.      Precisamos fazer escolhas certas, que envolvem  vida ou morte, benção ou maldição -  Deus concedeu ao homem o livre arbítrio, havia nas parteiras o poder de decidir se seriam agentes de vida ou de morte.   “Olha que hoje ponho diante de ti a vida com o bem, e a morte com o mal.  Mando-te hoje que ames o Senhor, teu Deus, que andes em seus caminhos, observes seus mandamentos, suas leis e seus preceitos, para que vivas e te multipliques, e que o Senhor, teu Deus, te abençoe na terra em que vais entrar para possuí-la.” (Dt 30.15-16)  - O INIMIGO VEIO ROUBAR, MATAR E DESTRUIR. JESUS VEIO TRAZER VIDA, E VIDA EM ABUNDANCIA
 Lição 4.    Deus quer que sejamos parteiras TEMENTES AO SENHOR acima de tudo! (v.17) Contudo, Pedro e João propuseram-lhes: “Julgai vós mesmos se é justo diante de Deus obedecer a vós mais do que a Deus. (At 4.19) Ex. DANIEL, ISAQUE SADRAQUE E ABENEGO, JEREMIAS etc.
 Lição 5.       Deus quer que sejamos parteiras que conservam “os meninos” com VIDA! (v. 18) -  Deus nos concede a oportunidade de sermos canais de vida para nossos companheiros. Existe muito para ser preservado e protegido. no TEMOR DE DEUS agir com esse cuidado de agir. Portanto, Não permita que o menino da sua irmã (irmão) morra! Ajude, socorra, fortaleça, motive, faça nascer! ("meninos" representam sonhos, futuro, vida, sequência de uma geração, sacerdócio etc.)
Lição 6. Deus concede estratégias e habilidades para as parteiras que fazem a Sua vontade! (v.19) -  Exemplo nós vemos na narrativa bíblica em Lucas, que HERODES FEZ A SENTENÇA PARA QUE JESUS NÃO NASCESSE. MAS DEUS concedeu a JOSÉ E MARIA A ESTRATÉGIA DE SOBREVIVÊNCIA e preservou, e eles obedeceram as diretrizes estratégicas de Deus.
Lição 7. PARTEIRAS QUE OPTAM PELA VIDA SÃO ABENÇOADAS E RECOMPENSADAS POR DEUS (20-21)
Deus não deve nada a ninguém, e sabe recompensar, sua Palavra relata a recompensa até por "um copo de água..." Deus é maravilhoso, e todo esforço, toda renúncia, toda dor será recompensada por Ele. " Porque Deus não é injusto para esquecer a vossa obra, e do trabalho do amor que para com o Seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis" (Hb 6.10) . VALE A PENA SE DISPOR PARA SER UM(A) PARTEIRA DE DEUS EM PRÓL DO SEU REINO, EM PROL DA VIDA. JESUS É O DONO DA VIDA, NOS OFERECE VIDA, E VIDA EM ABUNDANCIA. e, A recompensa vem dEle! Ele prosperou a vida das parteiras, concedeu casas, um nome, um destaque naquela sociedade em que correram riscos por temerem a DEUS e decidirem ser canais de vida.
" Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na Obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no SENHOR!" (I Co 15.58)
          





quarta-feira, 29 de março de 2017

Fortalecidos pela Esperança no Senhor

Fortalecidos pela Esperança no Senhor

 “Bom é ter esperança, e aguardar em silencio, a salvação do Senhor!” (lm 3.26)

A esperança em um alento para a vida, é um combustível para a sobrevivência em meio ao caos, quando a opção que resta é acreditar no que se espera. A Esperança, portanto, caminha junto a FÉ. 
Vemos no livro de Ezequiel Capítulo 37, que o  povo de Israel, vivia uma fase em que a esperança tinha perecido. Nossas vidas de vez em quando guerreiam contra a esperança. Uma pessoa que tem esperança, tem um fé fortalecida no Deus que tudo pode.
Muitos personagens bíblicos passaram por crises que podemos chamar de “crise de esperança”, não é desespero, é a falta de oxigênio para alegra-se, para continuar acreditando. 
 “ Bendito o varão que confia no Senhor, cuja esperança é o SENHOR. Porque ele será como a árvore plantada junto das águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde;e, no ano as sequidão não se afadiga e nem deixa de dar fruto.” (Jr 17.7-8)
O profeta Ezequiel nos deixa algumas lições nesse contexto é levado para o “meio do vale cheio de ossos”
1.     O Espírito nos conduz para os vales com propósitos definidos – DEUS É DEUS DE PROPÓSITOS; (Ex. Jesus no deserto, o povo de Israel) 
-  Lição: Nem só de pão viverá o homem, mas da Palavra de sai da boca de Deus”

2.     (V.2) No vale da “desesperança”(falta ou perda da esperança, descrença) , é preciso estar atento, para avaliar o contexto; (os ossos viraram pó, sequíssimos)
3.     
(V.3) No vale da desesperança é preciso reconhecer que “ Deus tudo SABE” 
(Sl 139.2-3 –“tu conhecer o meu assentar e o meu levantar, de longe entendes o meu pensamento. Cercas o meu andar e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos”
4.     
(v.4)  É preciso ouvir, crer e obedecer a Palavra de Deus.
5.     (v. 7) “Enquanto” nós agimos debaixo da palavra de Deus, mesmo contra a razão, o milagre acontece. (Rebuliço, ossos se juntaram, cada osso no seu osso, nervos, carne, pele)
6.     V. 10 – Aconteça o que aconteça, não pare de obedecer conforme a ordem de Deus.  Ele é o Dono da Vida, o Dono da Esperança. (Houve vida, um exercito se levantou)
7.     V. 13 – Pelo Poder da Palavra, mesmo no vale, a esperança pode ressurgir, Pois   Deus age com Poder, para que todos saibam que Ele é o SENHOR! 


“Ora, o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz na vossa fé, para que abundeis na esperança pelo poder do Espírito Santo”  (Rm 15.13)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O PODER DO ABRAÇO




Há um poder grandioso no abraço
Abraço combina com laço
Com o abraço, a muralha eu despedaço
Com abraço, a nuvem de ódio desfaço
Com abraço, a arma do rancor eu amasso
Ah o abraço...
com  amor envolvido eu resolvo
e na sua força eu dissolvo
E posso proporcionar o renovo!
Ah o abraço...
O Abraço desfaz o rancor 
O Abraço faz laço de amor
Abraço é laço, mas laço de vida
Abraço é remédio que sara a ferida
Abraço é laço que reconstrói
Abraço é a ponte sobre que sobre a vida
Abraço é chegada, é partida.

Viva o abraço, pois abraço é VIDA!  

(Miss. Cacilda Barbosa Santiago)