ESPAÇO DE DEVOCIONAL

Seja bem vindo!
Miss.Cacilda Barbosa Santiago

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O PODER DO ABRAÇO




Há um poder grandioso no abraço
Abraço combina com laço
Com o abraço, a muralha eu despedaço
Com abraço, a nuvem de ódio desfaço
Com abraço, a arma do rancor eu amasso
Ah o abraço...
com  amor envolvido eu resolvo
e na sua força eu dissolvo
E posso proporcionar o renovo!
Ah o abraço...
O Abraço desfaz o rancor 
O Abraço faz laço de amor
Abraço é laço, mas laço de vida
Abraço é remédio que sara a ferida
Abraço é laço que reconstrói
Abraço é a ponte sobre que sobre a vida
Abraço é chegada, é partida.

Viva o abraço pois, pois abraço é VIDA!  

(Miss. Cacilda Barbosa Santiago) 


terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Deus dos montes e Deus dos vales



A vida nos coloca em constantes oscilações, dias bons, dias maus, vales, montes. Enfim, há tempo pra tudo, chorar, sorrir, plantar, arrancar, abraçar, se afastar etc.. (Ec 3). A questão fundamental em tudo isso, é manter o foco naquilo que por nos dar esperança: "Quero trazer à memória o que me pode dar esperança. As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o SENHOR, diz a minha alma; portanto, esperarei nele.”( Lm 3.21.24)
Quando observamos a geografia bíblica, se percebe que grande parte das regiões citadas na Palavra de Deus estão envoltas de vales, desertos, montes, cavernas etc.. 
Nas guerras, cada grupo de soldados dessas regiões tinha uma maior especialidade no ambiente, alguns se destacavam em áreas pantanosas, alagadiças, outros em vales estreitos e escorregadios, outros em lugares altos com todo comprometimento climático inerente ao local. Além disso, havia, e ainda existe para muitos, uma grande influência dos seus deuses cultuados como protetores e detentores "divinos" dessas localidades, proporcionando aos que lhes buscavam a devida graça para vencer naquele determinado ambiente, seja nos montes ou nos vales, dependia do deus que veneravam. 
Foi veiculado no Programa Planeta Extremo (21/02)  uma matéria muito bem feita e muito interessante sobre os caçadores de mel, o qual seguem uma  tradição milenar num vilarejo  nas montanhas do Nepal.  Na colheita, são retiradas das colmeias o mel do ymalaia ou "mel vermelho" produzidos pelas maiores abelhas do mundo num paredão de mais 90 metros de altura. Mas os caçadores não se utilizam de nenhum equipamento de proteção e  buscam proteção espiritual no que acreditam ser o protetor das montanhas que impedem que aconteça algum acidente, cumprindo todo um ritual no alto da montanha.  Fiquei pensando na crença deles ... e me veio à lembrança que era exatamente esse entendimento que os sírios a respeito de suas crenças, tinham ao ponto de ser prepararem estrategicamente para derrotarem o povo de Israel. Eles acreditavam que tinham  certa ocasião, perdido uma batalha, porque achavam que o Senhor Deus de Israel era Deus com poder apenas dos montes e não dos vales. Mas o Deus vivo, Criador dos céus e da terra, viu a afronta e tomou para si, revelando mais uma vez que Ele é o Grande Eu Sou, o Deus dos montes e também o Deus dos vales. "E chegou o homem de Deus, e falou ao rei de Israel, e disse: Assim diz o Senhor: Porquanto os sírios disseram: O Senhor é Deus dos montes, e não Deus dos vales; toda esta grande multidão entregarei nas tuas mãos; para que saibas que eu sou o Senhor.  (1 Rs 20:28)
Deus cumpriu a Sua Palavra, livrou nos vales, assim como tinha livrado nos Montes. Deus não se limita a ambientes, ou a circunstância. Agindo Deus, quem impedirá? 
Infelizmente, a falta de divisão da grandeza e Poder de Deus permite que muitos percam batalhas porque não tem a fé suficiente no Deus que está acima de qualquer campo de batalha. Do Senhor é a guerra! 
Quando o salmista estava no vale, Olhou para os montes e disse: de onde me virá o socorro?", e o Espírito Santo lhe ilumina da resposta que precisa ecoar em nossos ouvidos a cada dia: "o meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra"(Sl 121.1-2)
Com esse entendimento, Israel mostrou que mesmo que o inimigo mude suas estratégias de ataque , bem como os territórios de combate, o SENHOR dos Exércitos está conosco, o Deus de Jacó é o nosso Refúgio.(...)quebra o arco e corta a lança, queima os carros no fogo(...) Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus" (Sl 46)
Portanto, ELE É DEUS, seja nos montes, seja nos vales as batalhas, o SENHOR continua sendo DEUS! 

(IMAGEM internet, google )



sábado, 17 de dezembro de 2016

SAUDADE... 
Saudade é um NÃO...
É não ter, não saber, não ver... 
Saudade é um SENTIR. 
Um sentir que sufoca, que desfoca 

Saudade é um SIM...
Sim que amou no passado,  
um sim da ausência do presente, 
que insiste em ser comovente...
mas um sim de esperança no futuro, e que vence todo muro... 
Saudade é  um AMAR... 
Um amar misturado com DOR
Uma dor causada  falta de alguém
que se foi e que não mais voltou... 
(Autoria: Cacilda Barbosa Santiago, 17/12/2016) 






terça-feira, 5 de julho de 2016

O QUE NÃO SE DEVE FAZER NO DIA DA BATALHA (Sl 78)

internet: www.jn.pt
“Os homens da tribo de Efraim, armados com arcos e flechas, fugiram no dia da batalha.”(Sl 78.9)
O Salmo 78 nos traz uma importante reflexão, e a necessidade de um resgate histórico sobre um povo que tinha aliança com Deus, mas que o perigo do esquecimento dessa aliança pelas gerações seguintes  trouxe sérias consequências. “para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos;” (v.7)
Efraim, conforme a narrativa bíblica, foi um dos filhos de José que nasceu no Egito. Nome hebraico que significa  "frutífero". Juntamente com a Tribo de Manassés, formou a Casa de José. Efraim, na divisão do território, ocupava a área montanhosa, o que lhe proporcionava proteção e segurança, era também uma região extremamente fértil, proporcionando prosperidade. A tribo de Efraim era a mais dominante das tribos do Reino de Israel, por sua força e poderio.
No entanto, vemos no relato dos salmos 78, uma reflexão do que leva um povo forte, habilitado, armado e bem preparado a fugir diante da batalha. Aprendemos o que NÃO DEVE ser FEITO por quem quer vencer a batalha. Um exército forte e poderoso  que, mesmo com arcos e flechas recuaram apavorados e envergonhados diante de seus inimigos, quebraram alguns requisitos de sobrevivência e vitória na guerra, levando-os a pior de todas as atitudes de um soldado, virar as costas para o inimigo, tornando-se uma presa vulnerável.
Quais os fatores que levam a esse tipo de constrangimento? Um povo escolhido por Deus fugir numa batalha? Podemos observar as respostas nos versículos seguintes:
1.   QUEBRA DE ALIANÇA COM DEUS- DESOBEDIÊNCIA “Não guardaram a aliança de Deus, não quiseram andar na sua lei;” (v.10). 
2.     ESQUECIMENTO DOS FEITOS DO SENHOR - “esqueceram-se das suas obras e das maravilhas que lhes mostrara.” (v.11)
3.     INSISTÊNCIA NO PECADO - “Mas, ainda assim, prosseguiram em pecar contra ele e se rebelaram, no deserto, contra o Altíssimo.” (v.12)
4.     TENTAR A DEUS AFRONTANDO SEU PODER - “Tentaram a Deus no seu coração, pedindo alimento que lhes fosse do gosto. Falaram contra Deus, dizendo: Pode, acaso, Deus preparar-nos mesa no deserto?”
5.     INCREDULIDADE - “porque não creram em Deus, nem confiaram na sua salvação.”

Portanto, é preciso não apenas ser forte e habilidoso, mas acima de tudo, confiar no Senhor, arrepender-se e retomar a posição no combate, e assim como o Salmista lembrar que “uns confiam em carros, outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor nosso Deus. Uns encurvam-se e caem, mas nós nos levantamos e estamos de pé”. (Sl 20)



segunda-feira, 4 de julho de 2016

8º CONGRESSO GERAL UNIFICADO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM RIO BRANCO

Próximos dia 6 a 9 de julho será realizado no Ginásio do SESI, o 8º Congresso Geral Unificado da Assembleia de Deus em Rio Branco, sob o tema: "A Palavra de Deus:resposta em tempos de crise". 
Os preletores do evento serão: Pr. Adriano Mendes, vindo de Brasília-DF, Ev. Sebastião Moreira e Pr. Luiz Gonzaga de Lima.
No louvor: cantores locais e os grandes corais dos departamentos de jovens, adolescentes, círculo de Oração e senhores. 


QUANDO O AVIVAMENTO VEM AS ESPERANÇAS SE RENOVAM (Pr. Luiz Gonzaga)


Reflexão bíblica  de autoria do Pr. Luiz Gonzaga de Lima, Pastor da Assembleia de Deus em Rio Branco, e gentilmente cedida para postagem neste blog.

(retirada da internet)
Vivemos um momento muito difícil, pois de tudo que o homem pode perder, o que lhe causa maior prejuízo é quando ele perde a esperança; e é exatamente o que está acontecendo com a humanidade nos dias atuais.
 Por que a perda da esperança é tão prejudicial assim?
Em primeiro lugar precisamos saber que uma pessoa que perde a esperança é alguém sem perspectiva, o que torna vulnerável a todo tipo de dificuldade. A primeira ideia que vem á sua mente énão vou conseguir”
Esse tipo de pessoa, por falta de esperança, não tem mais forças para reagir quando se depara com qualquer obstáculo, tudo para ela é demasiadamente difícil e até impossível.
Uma pessoa que perdeu a esperança é muito difícil ser reanimada, pois não lhes resta nenhuma perspectiva, não há nada que a motive a prosseguir.
Em segundo lugar uma pessoa que perdeu a esperança torna-se descrente em tudo e em todos, não há nada nem ninguém em que ou em quem possa acreditar, ou confiar. Esta atitude tem sido a causa principal pela quais muitas pessoas não conseguem superar seus traumas.
Partindo destes princípios chegamos á triste conclusão que Satanás se apodera destas situações desfavoráveis para manter as pessoas sob seu controle, fazendo-as cada vez mais infelizes, haja vista que falta de esperança, por si só, já é uma grande infelicidade, pois a despeito de qualquer situação, se a pessoa consegue manter acesa a chama da esperança, as possibilidades desta pessoa triunfar são muito grandes.
Quantas pessoas que já perderam as esperanças nas instituições, sejam elas de ordem forem: por exemplo: “A família, a escola, o Estado, e até mesmo a igreja”. Isto tem transformado a sociedade em um verdadeiro caos. Os conflitos aumentam, as incertezas se agigantam, e com isto o desespero das pessoas torna-se cada vez mais patente.
Haveria Alguma saída para este estado de coisas?
Felizmente a resposta para esta tão importante pergunta é sim! Existe sim uma saída! Quando o profeta Habacuque se deparou com o quadro deplorável em que se encontrava a nação na sua época, a primeira iniciativa que ele tomou foi clamar a Deus por um avivamento. Um poderoso avivamento é a saída para o quadro deplorável do mundo em nossos dias. Quando o avivamento vem a esperança se renova e é exatamente disto que estamos precisando, ou seja, um renovar da esperança.
Para nossa segurança e nosso conforto o Senhor nos diz em sua Palavra! “Clama a mim e responder-te-ei...” Que palavra esperançosa!.
Devemos apropriar-nos desta promessa e clamar a Deus por um grande, poderoso e duradouro avivamento.
Com a chegada deste avivamento a situação mudará radicalmente, pois a esperança será renovada, e ainda que uma pessoa esteja desprovida de muitas coisas, ou até mesmo de tudo, se ela tem esperança é apenas uma questão de tempo para que o seu cativeiro seja mudado.
Satanás, com permissão divina, tirou tudo o que Jó possuía, inclusive sua saúde, mas não conseguiu tirar a sua esperança, e em meio a toda provação, do meio das cinzas, podemos ouvir aquele gigante espiritual gritar! “Ainda que ele me mate, contudo nele esperarei;”... (Jó 13.15)  (Bíblia de referência Thompson), disse mais ainda o irmão Jó “Eu sei que o meu redentor vive, e por fim se levantará sobree a terra, E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus. Vê-lo-ei por mim mesmo, com meus próprios olhos, eu, e não outros. Como o meu coração anseia dentro de mim!” (Jó 19.25-27) (Bíblia de referência Thompson). Com isso podemos ver que se nos restar esperança podemos almejar coisas grandes.
É hora pois de nos prostrarmos diante do senhor clamando por um verdadeiro avivamento, a fim de que a esperança de muitos de nós se renove, e de posse desta benção nos levantemos diante de qualquer situação e com ajuda do Deus Todo-Poderoso mudemos o rumo das coisas.
Você e eu não fomos chamados para sermos fracassados, nem derrotados, mas sim, mais que vencedores por Cristo Jesus. Peçamos portanto a Deus que avive os nossos corações para que nos tornemos crentes esperançosos, e a despeito de qualquer situação que estejamos a enfrentar, possamos dizer: “Mas graças a Deus nos dá a vitória por Cristo Jesus.”
A boa notícia que eu tenho para lhe dar é que a esperança não morre, nunca se acaba, o que pode acontecer é de a mesma ter esfriado em nosso coração, mas nada que um poderoso avivamento não possa fazer.
Que agora mesmo o avivamento de Deus comesse em nossas vidas e a esperança se renove em nós, e assim possamos reconquistar todas as coisas que o inimigo nos roubou; as bênçãos são nossas por Cristo Jesus nosso Senhor; Satanás tem lutado para nos saquear, mas a Bíblia diz que Maior é o que está em nós do que o que está no mundo.” Corramos para dentro da vontade divina, e sejamos cheios de revelação do Senhor, pois assim poderemos experimentar e manter o genuíno avivamento, e desta forma termos a esperança cada vez mais renovada em nossos corações.
É tempo de avivamento, Deus envia um poderoso avivamento para a sua Igreja, um avivamento como jamais visto, só ficará de fora quem assim desejar. Está é a nossa hora, tenhamos a esperança renovada por meio desde poderoso avivamento. Amém! 
(Autor: Pr. Luiz Gonzaga de Lima ,Pastor da Assembleia de Deus em Rio Branco)



quinta-feira, 23 de junho de 2016

A vida e o tempo ((Cacilda Barbosa Santiago))

Vida e Tempo
Duas palavras, uma realidade
A vida estabelece-se pelo tempo,
no tempo e através do tempo. 
O tempo inspira a vida, 
                     com seus ciclos, suas fases,                      suas frases, e suas bases.
Tempo lento
Tempo vento
Tempo alento
Tempo a contento
Tempo sentimento 
Vida e tempo
Vida e suas  idas
Vida e suas voltas
Vida, ondas soltas 
Vida, ondas contidas 
Vida, lágrimas doídas
Vida, lágrimas sentidas 
Vida, sorrisos amargos 
Vida, sorrisos largos 
Vida, dádiva, troféu dos bravos!

Autoria: (Cacilda Barbosa Santiago)

quinta-feira, 17 de março de 2016

O paradoxo da felicidade à luz do cristianismo

imagem internet 
No dia a dia, tanto se fala na felicidade, e alguns pensam: é sonho ou realidade? 
As pessoas pautam suas vidas na busca constante da felicidade. A Felicidade nos dicionários, é definida como  "qualidade ou estado de feliz; estado de uma consciência plenamente satisfeita; satisfação, contentamento, bem estar." E, essa satisfação plena  para muitos se adquire em coisas, em objetos, em pessoas, status,  conhecimento,  em tantos e tantos moldes estabelecidos pela sociedade. Torna-se uma busca constante e acelerada por algo insaciável que não atinge seu ideal de satisfação plena e não  preenche o coração, humanamente falando.  
Isso porque, a  felicidade é  algo que vai muito aquém de tudo isso, pois a felicidade no ideal humano, na medida em que as pessoas conquistam tantos e tantos níveis materiais, sociais, intelectuais e sentem-se vazias e desprovidas de motivação, percebem que apesar de tudo, a felicidade parece uma montanha alta, imponente e inalcançável. 
No entanto, a verdadeira e plena felicidade se alcança através de Jesus Cristo, Ele nos apresenta a simplicidade da felicidade, a sua suavidade e ao mesmo tempo sua conduta, Jesus nos deixa claro que a felicidade não é TER, a felicidade é SER.
Acreditar nesse contraponto, é um paradoxo, pois é um  “pensamento, proposição ou argumento que contraria os princípios básicos e gerais que costumam orientar o pensamento humano, ou desafia a opinião consabida, a crença ordinária e compartilhada pela maioria.”
Ocorre que esse paradoxo é motivado pela FÉ, e é nessa caminhada com foco em Cristo, que descobre-se a essência do que é felicidade. Descobrimos que ela não é um estado de espírito, mas sim espírito do estado do ser humano. Felicidade é ser, simplesmente ser em Cristo. Um ser que atrai recompensas da parte de Deus, conforme podemos vislumbrar através do Sermão da Montanha, uma síntese dos ensinamentos de Cristo, um manual de sobrevivência cristã, percebemos esse paradoxo entre a vida terrena e a vida implícita no Reino de Deus.
Enfim, podemos perceber nos ensinamentos de Cristo, em que de fato se constitui a felicidade, e parece um constante paradoxo, pois conclui-se que a felicidade é SER EM CRISTO, pois "em CRISTO JESUS, somos MAIS DO QUE VENCEDORES!" E ser vencedor é ser FELIZ. 
No Sermão da montanha, as bem-aventuranças apontam um perfil das pessoas que podem ser felizes, "apesar de".. e isso faz uma grande diferença em estar satisfeito a despeito das circunstâncias. Isso não quer dizer que não haverá momentos tristes, momentos difíceis, choro, angústia, mas quer dizer que apesar da tristeza, da dor, da angústia a motivação de sermos felizes está fundamentada em Jesus Cristo, a autor e consumador da nossa fé. Ele nos avisou " no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo". 
Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres,pois o Reino do Céu é delas.
Felizes as pessoas que choram, pois Deus as consolará.
Felizes as pessoas humildes, pois receberão o que Deus tem prometido.
Felizes as pessoas que têm fome e sede de fazer a vontade de Deus, pois ele as deixará completamente satisfeitas.
Felizes as pessoas que têm misericórdia dos outros, pois Deus terá misericórdia delas.

Felizes as pessoas que têm o coração puro, pois elas verão a Deus.
Felizes as pessoas que trabalham pela paz, pois Deus as tratará como seus filhos.
Felizes as pessoas que sofrem perseguições por fazerem a vontade de Deus,  pois o Reino do Céu é delas.
Felizes são vocês quando os insultam, perseguem e dizem todo tipo de calúnia contra vocês por serem meus seguidores. 
Fiquem alegres e felizes, pois uma grande recompensa está guardada no céu para vocês. Porque foi assim mesmo que perseguiram os profetas que viveram antes de vocês. ( Mt 5.3-12. NTLH) 
No sermão da montanha,  portanto, podemos ver claramente, que apesar de humanamente parecer paradoxal.   o Mestre dos Mestres, Jesus Cristo  apresenta os requisitos inerentes às pessoas felizes, pessoas que sabem, que sofrem, que são, que possuem esperança, amor, desejo de justiça, sinceridade, pacificadoras, perseguidas... com Cristo,que proporciona força. esperança e fé, poderão ser felizes sim, e muito mais quando chegar no céu, onde não haverá mais lágrimas, tristezas e dor. 
SOMOS FELIZES EM CRISTO, APESAR DE TUDO!..